quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Cravo-da-índia


Um espaço

Outro tempo

Novo verão.

Nem um, nem outro

se adequam a tua dimensão.

Ser um ser

ou não ser nada além de ser o mesmo.

a mesma coisa

em outros versos

mesmos espaçamentos

novas crases

velhos finais.

3 comentários:

Surpresa disse...

Para quê serve a poesia?

Fê Moura disse...

Seu blog está muito legal . Muitas cores, palavras, dúvidas. Tudo isso é muito instigante mesmo!
Parabéns.
Gostei.

Má! pouco má disse...

Quando te vi declamar pela 1ª vez na Baiana, fiquei encantada... por tudo....pela performance, pelo texto, pelo o que você é... bom saber que aqui ainda temos um gostinho da essência vibrante que é você....


inclusive comprei uma de suas caixas de origami!!!!