terça-feira, 13 de maio de 2008

Criatividade nas bordas


Ser clichê é só um estado de espírito. Não há predisposição para a redundância. Somos antes de ser, seres criativos. Pelo menos o que deveríamos buscar. No fundo todo mundo quer a mesma coisa. O destaque está nas bordas, na ponta dos dedos, no canto do olho.

Escrever é transcender, mesmo que seja de você mesmo. Escrever como coisa-em-si é clichê. Pois todas as palavras já foram escritas. O experimental é o dissonante. O erro.

Não sei se hoje somos o suficientemente criativos para experimentar. Desde muitos anos existem os modernos, e consequentemente os pós-modernos, os contemporâneos...mas e nós? Somos o quê?


Neo- contemporâneo? Se for, somos apenas as redundâncias.

3 comentários:

Paulinha disse...

Você é fantástica!

marilia disse...

Que preocupação tola, minha Flor. Todo mundo é tão clichê!!


hahahaha

beijocas clicherizadas!

Juliana disse...

Exatamente, quem neste mundo de Deus não é clichê....toda a criação é clichê, uma vez em que nada mais se cria.