segunda-feira, 17 de novembro de 2008

No quadro de Magritte.


Eu queria morar num quadro de Magritte. Há muito tempo penso nisso.

Penso também que nãosei organizar os meus pensamentos. Os ponto finais vêm antes das últimas palavras. Acho que é porque eu esqueço.

Certa vez meu professor disse que minhas frases eram curtas e havia pontos demais. Mas eu gosto dos pontos finais, ele sugere que eu sei a hora certa de me calar. Eu queria me calar num quadro de Magritte, mas ainda não sei bem qual. Talvez eu queria ser aquela nuvem dentro do olho. Dentro do olho tem a bolinha preta. É como o ponto final.
Queria que minha casa fosse o quadro de Magritte. Quem sabe se ele pintasse...
Acho que ele ia gostar de me pintar se estivesse vivo, mas ele virou um ponto final; morreu.
Fico pensando também nas mortes que eu já sofri. Foram muitas.
Ainda tenho os olhos vivos, mas as retinas estão cansadas e por isso eu tenho miopia. A miopia pode ser boa quando você gosta dos Beatles. O meu óculos é igual ao do John Lennon e eu sou feliz assim. O Bilo não gostou muito, preferia aqueles óculos quadrados. Mas eu não prefiro.
óculos redondos são como os pontos finais. Eles são redondos.