quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Sobre o nada


Eu queria poder falar sobre a mística que acompanha os dias de chuva, mas estou passando por uma crise de criatividade e simplesmente não consigo escrever nada que não diz respeito ao trabalho. Estou sofrendo com essa deficiência temporária e preciso pensar em alternativas de driblar a ausência de poesia no meu discurso. Pensei em ler mais, porém falta tempo, disposição. Falta tudo! Queria poder ficar sentada aqui, ouvindo a chuva batendo no chão, o ruído dos ventos, sentir o frio que corta meus pés. Queria apagar a luz; Os dias chuvosos combinam com a escuridão. As tartarugas são os dinossauros de hoje.

9 comentários:

Felipe Pinheiro disse...

Falta de inspiração à mim combina com apreciação a poesia já existente em tudo. =D !

Mi disse...

tb estou passando por uma fase assim. a inspiração fugiu...
mas ficou bonito esse texto. já é uma luz no fim do túnel.
mil beijocas com saudades!!!

Juliana Maggen disse...

Mais sal não! Falta de criatividade é muito ruim, mas acontece com todo mundo e regurlamente, tenho certeza disso.

Juliana Maggen disse...

Mais sal não! Falta de criatividade é muito ruim, mas acontece com todo mundo e regurlamente, tenho certeza disso.

Juliana Maggen disse...

Mais sal não! Falta de criatividade é muito ruim, mas acontece com todo mundo e regurlamente, tenho certeza disso.

Juliana Maggen disse...

Mais sal não! Falta de criatividade é muito ruim, mas acontece com todo mundo e regurlamente, tenho certeza disso.

Juliana Maggen disse...

Mais sal não! Falta de criatividade é muito ruim, mas acontece com todo mundo e regurlamente, tenho certeza disso.

João disse...

Quando o vazio é consequência do acúmulo, existe algo a ser dito. E talvez seja assim, todos os reencontros sejam frutos do acaso. Foi bom rever você, espero que logo você também reveja a sua chuva.

Jéssica disse...

Acho que voce não é a única que está precisando disso..

;**