quarta-feira, 30 de junho de 2010

O deus dos sonhos





Estou tentando forçosamente restabelecer meus laços com a espiritualidade. De alguns anos para cá, talvez dois, me tornei muito cética, muito descrente, muito materialista. (não digo no sentido de consumismo). Confesso que o mundo era muito mais colorido quando infinitos deuses e energias habitavam a minha vida. Tudo era mágico e de tão mágico virou ilusão. Não quero que o estudo me torne uma escrava do funcional e me obrigue a viver tons pastéis. Mas cansei de não acreditar em nada – de dois anos para cá fiquei calada, por não ter nada a dizer, ninguém a convencer. Agora vejo com desconfiança qualquer rastro de certeza e fanatismo. E geralmente os fanáticos é que não tem a humildade de respeitar as crenças alheias e fazer um esforço, mesmo que seja mínimo, para compreender o outro.

Aos poucos, vou tentando buscar as respostas que preciso para manter minha fé, que até agora não sei propriamente em que ela se sustenta. As histórias espirituais me interessam mais no sentindo mítico do que misticamente. As religiões panteístas são as mais bonitas, mas não consigo crer em nada que limite as ações do homem. Não acredito em pecados, em condutas corretas e não permito que alguém, em nome de um deus, me diga a forma que devo me comportar, pensar e vestir. Tenho simpatia por alguns líderes espirituais, mas fico muito desacreditada quando vejo multidões se estapeando por eles. O grande problema das religiões é que elas impõem demais e arrancam o que o individuo tem de mais humano. Sejamos homens na terra, com nossos vícios, imperfeições e temperamentos - Porque divinizar uma matéria tão grossa como a nossa seria, no mínimo, desatino.

Ainda não inventaram uma religião nos moldes das coisas que eu acredito, e enquanto isso vou caminhando sozinha mesmo e talvez com meus deuses, energias, cores, estações do ano e toda alegoria que faz parte da minha festa devocional.

16 comentários:

Franck disse...

Bonito texto, não tenho nenhuma religião, mas busco o belo nas coisas simples, o infinito como o mais bonito dos deuses... Vc já ouviu/leu algo sobre simplicidade voluntária? busco essa filosofia hj.
Paz! Obg pela visita!
PS: Veja um blog que está nos blogs que acompanho no lado direito do meu chamado lost in japan, uma delícia de ver!

Sil.. disse...

Minha querida, to melhor sim.
Foi só uma febre!!
Qto ao seu texto, ele é perfeitoooo!
Assino embaixo!
Tbm não gosto e não ADMITO que me imponham algo, no sentido religioso.
Religião alguma pode apontar o dedo na cara de uma pessoa pra dizer como ela deve seguir.
Deus nunca fez isso.
Por isso que não tenho religião, tenho filosofia.
E a filosofia que me encontrei, foi a do espiritismo, o que jamais me levou e leva ao fanatismo, pois é a primeira coisa que eles combatem.
Eu penso como vc.
Minha religião é DEUS!
E quando eu quero falar com ele, falo dentro da minha casa.
Nunca ouvi dizer que Deus pregava em templos não é?
Enfins, lindoooooo texto!
Um abraço grande.
Eu gosto imensamente do seu blog!

Benjamin disse...

Sinto um vazio, acredito em Deus, ultimamente me afasto de tudo por causa dos homens que usam o nome de Deus por interesse próprio, tudo hoje desde filosofias, seitas, religiões estão “contaminadas” por algum tipo de interesse. Eu amo o Deus do Gênesis, criador de todas as coisas. Dentre todas as “teorias” é a mais plausível.

Ursinhu da Juh =] disse...

Oieeeee FLorrrrr!!!! Fiquei muito feliz de te ver no meu blog, vim correndo aqui ver seu cantinho que é lindo lindo como eu nao sou boba claro que vou seguir ne kkkkkk.
Flor que bom que voce está procurando algo que a complete e a faça sentir bem. Religiao é algo simples mas complicado e requer muita consciencia na escolha isso é muito importante =]. Graças a DEUS voce parecer ser uma pessoa muito inteligente que procura saber e questiona as coisas antes de absorver algo isso é muito bom =].
Voce ja deve saber que sou evangelica. Quando eu optei em aceitar JESUS como suficiente salvador da minha vida tudo mudou. Eu entendi que nao tenho que ficar mais presa naquilo que um ou outro determina, eu sou livre pra escolher porque o inimigo nao pode mais me acusar de nada. DEUS com seu infinito amor me amou e hoje posso ter vida eterna atraves de JESUS. E o amor de DEUS é tao grande Flor que mesmo nós sendo infieis, ingratos com ELE, ELE ainda com uma infinita misericordia nos da o ar pra respirar, nos da saude, nos la um lar, nos estudo, nao da uma razao pra viver =]. E se sigo hoje alguns padroes na minha vida sigo porque eu leio a PALAVRA de DEUS e considero que ELE se agrada disso ou daquilo. Faço isso porque quero retribuir aquele a quem tanto me amou e te ate hoje nos sustenta.
DEUS é tao maravilhoso que nao nos fez bonecos mas nos deu o livre arbitrio para tomarmos nos mesmos nossas decisoes. Mas isso nao significa que ELE nos colocou nesse mundo ao leu ele deixou a palavra dele a BIBLIA para que possamos aprender a fazer escolhas, aprender a decidir por aquilo que traz o bem, mas no final a decisao sera somente sua =]. E nada mais justo do que cada um ter as consequencias daquilo que faz nao é ? Assim tudo fica certo se escolhermos andar com DEUS teremos uma consequencia, mas se escolhermos andar sem ELE teremos outra consequencia. Para mim andar com DEUS sempre me trouxe consequencias muito boas e eu posso dizer Flor com toda certeza eu so livre, sou feliz e sou completa =].

Bjuuuu
Fica com DEUS =]

Brunno Lopez disse...

Acho que o simples fato de você procurar um rumo, algo para lhe situar, já é louvável.

Acredito que exista apenas um Deus.
Jesus.

Acredito que as pessoas destoam essa imagem demais com as infinitas religiões.

Só nós sabemos como é nossa fé.

JéssicaN. disse...

Mas todos temos :D

disse...

Oi Flor Baez,
Lindo texto. Também não tenho religião, nenhuma destas que temos por aí. Gosto de alguma coisa de uma ou de outra, mas... Você escreve muito bem! Adorei seu texto.
Obrigada pela visita. Também amo os gatos. Li em algum lugar, não lembro agora, que cada vez mais as pessoas estão preferindo ter gatos como animais de estimação. Fico feliz com isso e penso que deve ter um "motivo" muito especial e oculto por esta "escolha". Beijos,
Sô.

Mari disse...

Flor, bonita a sua sinceridade no texto. O importante acho que nem é a religião em si, mas como as pessoas agem de acordo com os princípios do bem.

Suzi disse...

Que legal ter comprado o livro!

Para mim, é maravilhoso, apesar de já ter lido várias críticas contra.

Hoje não li teu texto. Passo apressada, volto depois para ler.

Deixo um beijo e um sorriso.


.
.

disse...

Flor, que lindo seu post!!! Consciente, elevado e leve. Esses questionamentos e dúvidas te trarão a resposta que você procura. Bjossssssss

Leo disse...

A vida é um pouco dura quando olhamos com muito ceticismos, não é? pelo menos acho eu.

Adorei aqui, volto!

Beijos!

Fabrício Santiago disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do "Entre Aspas". Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/

Willyan Luemi disse...

Girassóis...!
Sempre em busca do sol.

Muito bonito o seu caminho, flor.

Passei por uma época totalmente difícil, racional, seguindo ideias de uma filosofia de pedra e fria. Ficava cada dia mais depressivo.
Depois por uma época repleta de misticismo e fanatismo. Me ajudara, mas não me satisfazia.

Com o tempo, descobri um caminho peculiar, peculiar e pacífico.
Onde os erro são totalmente compreensíveis e úteis.

Qualquer semelhança com o que já existe dentro de vc, é mera coincidencia ;)

Um abraço em sua alma de luz!

Sharla disse...

Invente a tua. Claro não digo criar um Deus, mas o que impede de tu acreditar e colher um pouco do "sensato" [já que anda cetica] razoavel de cada religião e juntar numa grande bola que seria a tua crença? Muitas religiões começaram mais inocentes que outras mais autoritarias [e ficaram diferentes com o tempo], eu gosto da idéias de morrer e chegar ao fim como os judeus acreditam [são eles né?] e também em toda paz de espirito do budismo, e por ai vai.

Digo isso como um ateu cetico que sou.

E que não gostaria de ser, eu invejo quem consegue acreditar no "inacreditavel" se apoiar em fés e crenças para ajudar em certos momentos. Auto superação é algo exaustivo, com certeza...


Morrendo de saudades de aparecer por aqui ;D

Michel Saer disse...

Amiga Flor, la verdad es que yo estoy agradecido de lo "malo" que hicieron las mujeres, sino hubiera sido por que nos hicieron pecar, no hubiéramos conocido el verdadero paraíso y el amor de una mujer.
Por favor no dejen de llevarnos al “pecado”
Saludos

Clarice disse...

Menina, tem uma regrinha que eu sigo, mesmo sendo avessa a elas: se não posso questionar racionalmente, eu deixo de lado.
Fé pressupõe crença. Como crer se não posso confiar. para confiar preciso de certezas. Vai daí... Mas eu sou revolucionária, questionadora, desconfiada por influência de aquário. Nada que inicie com "Tem que..." me cativa.
Fique na espiritualidade pura, que a serenidade chega mais fácil.
Beijos.