quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Tratado místico sobre as cores

Breves sensações de uma manhã chuvosa
Hoje quando acordei para meditar, assim que fechei os olhos veio uma cor amarela no meu rosto e ficou pulsando na minha mente durante um tempo. Não entendia o porquê, já que sempre é o roxo que aparece no meu chakra frontal. Mesmo que eu não domine isso, sei que as cores exercem vários tipos de influências na mente e no comportamento humano.  

Percebi que tinha me esquecido da cor amarela, logo ela que lembra luz, sol e alegria. Estou muito presa a “cosmicidade” do azul e roxo, parece que elas me levam para uma viagem astral. Ainda assim, a maioria dos sábios é retratada nas obras de arte com uma áurea amarela em volta da cabeça indicando sabedoria, desde Buda a Jesus. O amarelo indica que a pessoa já alcançou o estado de iluminação cósmica. Obviamente que não é no meu caso e sim dos mestres ascencionados.

A cor amarela sugere intensidade. No caso dos grandes sábios é uma magnitude de sabedoria e iluminação que irradia para fora do seu ser. Amarelo me lembra flores, primavera, calor, pão francês, suco de melão, livro, cadeira de madeira, etc, etc, etc.

Eu tenho uma relação muito intensa com as sensações. Cores, cheiros e paisagens sempre me remetem alguma coisa inexplicável. Essa cor amarela me trouxe uma vontade de ser uma tarde fresca, e ficar inerte durante algumas horas. É uma pena que o tempo seja tão disciplinado e pontual: tive que me levantar e cumprir minhas obrigações mundanas.

4 comentários:

patricia disse...

preciosa entrada, amiga.
el color amarillo es bellísmo y el dorado nos conduce a nuestra esencia, es la chispa de la luz del sol en nuestro corazón!
un beso grande.

Bruno Ananda disse...

=)

Alexandra Deitos disse...

o amarelo que aquece
o amar que é elo
:)

Flor Baez disse...

Patricia e Bruno, obrigada pela visita! Fico feliz em vê-los aqui comigo! Bjs

Alexandra, tudo na sua mão vira arte! Amar é elo, mesmo! Muito legal!!! Bjs