quinta-feira, 31 de março de 2011

O sagrado na arte indiana

Olá amigos,
Estou escrevendo minha monografia sobre os aspectos do sagrado na arte indiana clássica, dando maior ênfase na escultura e iconografia. Por conta disso, tenho deixado tudo aqui abandonado para dar prioridade às leituras.Estou muito ansiosa para compartilhar com vocês, mas tenho que primeiro entregar para depois postar alguns capítulos aqui.

Estou descobrindo coisas muito interessantes sobre a estética indiana, que é completamente religiosa e conectada com a espiritualidade e isso fez despertar ainda mais o meu interesse. Cada dia que escrevo uma página, uma sensação de preenchimento invade meu coração e me sinto muito feliz. Vivendo um dia de cada vez e esperando que tudo isso me renda o fruto precioso da tranquilidade. Enfim...

Beijos,

terça-feira, 22 de março de 2011

Filosofia Perene (3) Aldous Huxley

A Filosofia Perene, de Aldous Huxley, consegue sintetizar toda a grandeza dos grandes sábios orientais e ocidentais. Com uma linguagem acessível, Huxley está mais preocupado em difundir com clareza a sua mensagem, deixando de lado toda erudição acadêmica, que muitas vezes impõe barreiras intransponíveis ao leitor comum.

Durante a narrativa ele passeia por conceitos muito comuns em todas as religiões e experiências místicas,como a penitência, a prece, o ritual, a Verdade, o silêncio e todas as formas de comunicação entre indivíduo e sagrado. A obra faz parte daqueles livros que você precisa ter em casa disponível e que se você pudesse daria um exemplar para cada pessoa conhecida.

Cerca de três postagens que escrevi aqui foram inspiradas por este livro, que muito sorrateiramente veio parar na minha biblioteca. O primeiro livro de 2011. E de todos os capítulos, de todos os conceitos que aprendi, a santa indiferença, sem dúvidas, foi o mais impactante e mais óbvio. Conhecer São Francisco Salles também foi uma surpresa maravilhosa diante de tantas similaridades entre os nossos pensamentos.

Enfim, só vim compartilhar  porque hoje a noite sonhei com isso de uma forma muito mágica, muito real. Meditar antes de dormir tem benefícios maravilhosos para o sono, para o sonho, para o consciência,

terça-feira, 15 de março de 2011

Sobre o nobre silêncio

Se a nossa era pode ser conceituada em apenas uma palavra, ela se chamaria a Era do Ruído. Toda a nossa tecnologia, nossos hábitos e ações são contra o silêncio. Uma inocente novela, um papo no telefone, o rádio que toca e lá se vão os decibéis e a inutilidade entrando cabeça a dentro. 

A televisão e o rádio invadem nossas casas com todos os tipos de bobagens sonoras, informações e discussões vazias, que não nos acrescentam em nada como seres humanos. Ás vezes chegamos em casa e ligamos a tv só para não sentirmos que estamos sozinhos.

Tudo conspira contra o silêncio. Somente calando a boca é que consiguimos, pelo menos, calar a mente - que é um exercício muito mais complexo e disciplinado do que o simples fato de amansar a língua.
Se fosse possível contabilizar todas as palavras que proferimos nos espantaríamos com a quantidade de irrelevâncias. O silêncio fortalece nossa vida espiritual e o barulho afasta, além de ser uma distração perigosa que desequilibra nossa mente e nos faz seres menos reflexivos. 

Nos dez dias de medição vipassana, que precisamos observar o nobre silêncio, que significa não emitir nenhum ruído, consegui desenvolver outros sentidos que me conectavam com a natureza e as mais altas esferas do universo. Aprender o silêncio me fez uma pessoa vigilante, atenta e com a mente mais serena no mundo aqui fora.


quinta-feira, 10 de março de 2011

A Santa Indiferença


Durante os dias de meditação vipassana ouvimos, como um mantra, a lição de Goenka (mas que também pertence a todos os sábios) sobre a importância da indiferença com a avidez e aversão. Ser indiferente não com aquele aspecto rancoroso, do qual estamos acostumados; a santa indiferença é para o bem de todos.


Esta santa indiferença que requer não beber do veneno do outro nos ajuda a aniquilar o império do eu, o império do ego, além de nos proporcionar uma fonte de verdadeira paz. Aceitar todas as situações que acontecem em nossas vidas com paciência e compaixão é o primeiro exercício para viver em equilíbrio.


Budas e Cristos de todas as religiões deixam as mesmas lições, as mesmas mensagens no seu linguajar culturalmente próprio. Só é possível ver Deus quando não há mais eu. Todos os desconfortos e confortos devem por nós ser aceitas com indiferença. Apenas observe, não reaja. De Goenka a São Francisco Sales: cultive a santa indiferença e não deixe que seu estado emocional saia do equilibrio. Se mantanha sempre equanime.


Sem dúvidas, essa foi uma lição muito importante que mudou radicalmente minha vida, minha conduta perante os sentimentos e sensações ruins.Hoje consigo confiar mais em minhas escolhas e até me relacionar melhor socialmente com as diferenças.

terça-feira, 1 de março de 2011

A síntese de alma (2) Filosofia Perene

Vim compartilhar com vocês um livro maravilhoso que estou lendo, se chama Filosofia Perene de Aldous Huxley. A obra sintetiza os grandes pensamentos dos sábios orientais e ocidentais. É incrível como a essência da mensagem é a mesma proferida por todas essas grandes almas - o aniquilamento do eu, que é um exercício para toda a vida com a prática da meditação.

O amor, a compaixão, a paciência e a tolerância com as diferenças só podem florescer dentro de nós quando abdicamos do culto ao nosso próprio ego. E somente o equilíbrio da consciência podem ajudar a tranqüilizar nosso estado de espírito.

"Se você  deseja tranqüilizar sua mente e restaurar a sua pureza original, deve proceder como faria para purificar uma jarra de água lamacenta. Primeiro, deixe a ficar lá, até o sedimento baixar no fundo, quando a água se tornará clara, o que corresponde a um estado de espírito antes de ser perturbado por paixões maculadoras. Dai, você despeja cuidadosamente a água pura. (...) Quando a mente se torna tranqüila e concentrada em unidade perfeita, então todas as coisas serão vistas, não na sua forma separada, mas em sua unidade, onde não há lugar para paixões entrarem; Ai ela está em pleno acordo com a pureza misteriosa e indescritível do nirvana." 
 
 Surangama Sutra

Incrível também é sincronicidade que acabamos desenvolvendo com outras pessoas. Entrei no blog de um amigo e li uma linda postagem sobre o tema. Fica aqui a dica.