quarta-feira, 6 de julho de 2011

A Meditação Vipassana no dia a dia


Estou com uma vontade arrebatadora de voltar ao Dhamma Shanti. Ouvir a voz grave do Goenka, o silêncio, o confronto com a mente e o todo que faz da Vipassana a técnica de meditação mais respeitada e efetiva que vivenciei nesta humilde vida. 

Não tenho conseguido manter diariamente as duas meditações, mas me esforço para praticar pelo menos uma vez ao dia, pois afinal de contas meditar é um exercício da consciência e exige que a pessoa tenha disciplina para perceber sua evolução e os benefícios que ela traz. 

Uma das maiores vitórias foi ter amansado o ego, tenho pensado mais nas coisas e situações em esferas universais. Difícil tarefa, ainda mais quando alguém pisa no seu calo. Mas já consigo compreender que precisamos passar por determinadas situações e delas tenho tirado todo ouro. Presto atenção em todas as mensagens que recebo das pessoas, cada encontro, cada gesto eu contextualizo de forma ampla para entender esses segredos do “acaso”. 

Outra bagagem que trouxe da meditação Vipassana foi o silêncio. Procuro sempre medir as palavras e não falar tudo o que penso para todas as pessoas, avalio se aquilo terá alguma importância na vida do outro se será apenas um capricho individual. E assim, a vida foi ficando cada vez mais de minha responsabilidade. E como dizia Osho, a maturidade é a responsabilidade de ser você mesmo.

3 comentários:

Adriana Borghi disse...

Oi, Flor!

Entrar no seu blog me traz uma paz... não sei porque.

Quanto à postagem anterior: amo!
Into the wild!
"A felicidade só é real quando compartilhada!"

Alexandra Deitos disse...

Mas medir as palavras não seria uma outra forma de capricho?
(só porque ando cheia de perguntas cabulosas!!! rsss)

Como é bom ir se encontrando aos poucos, em cada detalhes!!! :)

Flor Baez disse...

Oi Drica, que bom que você sente paz! Seja sempre bem vinda!

Linda frase, deve ser por isso que compartilhamos as coisas que admiramos, assim é mais um!

Oi Alexandra, medir as palavras pode ser um capricho da serenidade! Tudo para não se aborrecer! Tenho economizado bons quilos de tristeza com isso! rs

Pode vir sempre com suas perguntas ácidas, viu? Assim você me desafia a pensar sob outra perspectiva das coisas que eu teria "absoluta certeza"! Beijos!