quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Noticias de Varanasi (7)





Ja tem algum tempo que eu nao escrevo por aqui! O blog saiu do ar, deu como removido e daqui eu nao consegui resolver, mas minha prima-irma Lorena que e mestra em internet solucionou o problema. 


Varanasi e uma outra India! A palavra que pode tentar defini-la e devocao! No primeiro dia por aqui fomos assistir o nascer do sol de barquinho no Ganges! Lindo! O sol era uma bola de fogo muito grande, muito lindo! Inesquecivel! Na India todo mundo tem 4 maes: a biologica, a nacao, a vaca e o rio ganga. 


Passeando pelos Ghats de Varanasi vimos todas as pessoas desfrutando da vida! Rezando, tomando banho, lavando roupa, tudo e magico! Vimos os Ghats do crematorio e foi bem impactante! Os homens sao queimados no fogo sagrado que esta aceso ha 3 mil anos, ja mulheres e criancas sao atiradas diretamente no rio, mas com pedras amarradas pelo corpo para que ele afunde. Ou seja, abaixo do Ganges existe uma outra India! 


Acreditam que eu a Abilio nos casamos na beira do Ganges? Do nada veio um Pundit e perguntou se ja eramos casados e quando percebemos a cerimonia ja estava armada, com direito a convidados e tudo! rs Pena que eu nao estava com o meu saree vermelho! 


Fiquei apaixonada por Varanasi! Espero na proxima vida viver por aqui e poder desfrutar integralmente desta maravilha! Conhecemos alguns templos e e claro que nao conseguimos bater fotos, mas posso garantir que somos envolvidos por uma energia muito forte, muito real. Shiva mora em cada pedra de Benares! 


Fomos a Sarnath, local onde Buda deu seu primeiro sermao. Foi indescritivel. Uma energia unica, uma serenidade tipicamente budista! Aproveitamos para visitar o museu de Sarnath, que tem muitas esculturas super antigas, datadas de 5 a 11 a.C. 


O unico problema daqui foi a poluicao. Meu nariz ficou irritado com a quantidade de poeira... mas enfim. Muito pouco diante das belezas!



quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Rota Magica: Chegando na India (6)

Chegamos na India! E uma sensacao indescritivel. Logo no trajeto do aeroporto para o Hotel podemos sentir o que nos esperava pela frente. Comecando pelo ingles dos indianos que esta sendo um pouco mais dificil para mim, mas aos poucos vamos nos acostumando, adaptando e aprendendo. 


Abilio ficou visivelmente assustado, e eu ja imaginava que isso fosse acontecer. Mas contratamos um guia hoje para andar com a gente e foi muito tranquilo. Visitamos os principais pontos turisticos de Nova Delhi e amanha vamos visitar mais uns tantos e ir ao mercado, pois ate agora so compramos cartao postal, nada mais. Hoje demos uma voltinha pelo mercado de Old Delhi e vi coisas maravilhosas!!! Sarees de pedras, saias lindas, pulseiras, quadros, hare baba! Muitas coisas lindas! A India tem cheiro de curry e incenso. 




Hoje aconteceu algo muito magico. Na saida do Jami Masjid, a maior mesquita da India, fomos dar uma voltinha de rickshaw pelas ruelas de Old Delhi e em determinado ponto para batermos foto e fomos recebidos por um senhor muito maravilhoso chamado Atam. Ele nos convidou para tomar um cha e ficou conversando com a gente, bateu foto e no final ainda deu um presente! Tudo bem diferente de tudo que li sobre a India nos blogs de viagem. Nem todos querem desesperadamente o seu dinheiro. 


Aqui esta bem frio, principalmente pela manha e noite. Imagina quando chegarmos em Ladakh! Pelo o o que eu li no jornal la esta -10 C. Hohohohoho muito frio! 


A pobreza e muita e a moeda deles e muito desvalorizada, enfim. 1 dolar e equivalente a 50 rupias! E muita coisa para escrever e pouco tempo para ficar na internet. Depois quero escrever com muita calma e dar atencao aos detalhes! Agora e so uma previa. Ah! A televisao e otima! Tem novela indiana, bollywood, pujas! Hahahahaha 


O Hotel que estamos e maravilhoso! Se chama Star Rock! Tudo muito limpinho e com papel higienico! rs Ninguem passou mal, estamos muito cuidadosos com a agua e a alimentacao.
Alguns banheiros por aqui sao apenas um buraco no chao! Hahahaha acostumando! Em tres dias estamos em Varanasi! Obrigada a todas as mensagens de carinho!

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Rota Magica: Passeando por Dubai (5)

Ola amigos, vou escrever bem rapidamente! Aqui no Hostel que estamos hospedados em Dubai tem uns computadores e custam 5 EAD por uma hora. Ate que as coisas por aqui nao sao tao caras como imaginavamos. Ontem  fomos conhecer o Burj Khalifa, o predio mais alto do mundo, fomos ao Jumeirah Beach, que e uma ilha no meio do oceano. E assistimos ao espetaculo das aguas dancantes no Dubai Mall e fomos ao mercado do ouro! Gente, quanto ouro!


Na verdade, Dubai parece um pouco com a Barra da Tijuca. Ah! ontem estava abracada com o Abilio no Metro e o guarda nos chamou atencao e todo mundo ficou rindo da nossa cara! Como tem indiano aqui em Dubai! E todos os motoristas de taxi sao paquistaneses.


O Hostel que estamos e muito bom! Estou num quarto sozinha com o Abilio! E tem fotos do Sheik por toda parte! Somos acordado todo dias as 6h da manha com uma cantoria muculmana que vem de uma mesquita proxima daqui. E em poucas horas vamos dar um passeio no deserto, andar de camelo e assitir um espetaculo de Belly dance! 


Quanto a nossa comunicacao, estamos nos virando muito bem! O ingles esta fluindo que e uma beleza e nao estamos passando sufoco por isso. Ate arriscamos conversas por aqui.


No aeroporto de Dubai o Abilio foi parado diversas vezes, confundido com indianos. Todo branco com cara de americano ou europeu passava tranquilamente pela policia. E os negros e indianos eram parados com mais frequencia. Enfim... vou me despedidindo! Amanha partimos para a India! Espero poder mandar noticias de la tambem!

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Rota Mágica: Embarcando para Índia (4)

Hoje nós embarcamos e esta última semana por aqui fui me despedindo de tudo, de todos, da forma como deu. Despedida porque eu sei que a Flor que embarca hoje não é a mesma que retorna. Algo morre e outro algo nasce, é isso que diz meu coração. É muito difícil colocar em palavras tudo que estou sentindo, mas ontem sentei com meu primo Raphael e simplesmente consegui dizer tudo pra ele! Quero ultrapassar todas as fronteiras do desconhecido, do incognoscível e da materialidade. Mas é um querer que não beira a insistência. Que tudo flua. E como me desejou o amigo Claudio, que eu encontre o que eu procuro!


Faltam poucas horas e ainda não comprei os remédios que preciso levar e os cadeados para proteger a mochila. Abilio está lá no meio do mato, trabalhando e ainda não desceu. Bate um medo de perder o taxi, o voo, a viagem, e tudo. Sem contar dos problemas de casa que ainda não foram resolvidos. Ai, ai, ai. Quer nervoso. 


Este é meu último post daqui. Não sei como será a conexão e a comunicação. Mas vou fazer o possível para em algum momento poder escrever alguma coisa, mandar notícia. 


Ah, o melhor foi ver os meus familiares e amigos. Fabiano, que saudade! 


Vou me despedindo com o poema que minha grande amiga Maiana fez, olha que lindo! 


Querida amiga das terras de Miguel
Pra te mostrar como sou prendada
Te respondo com esse cordel
Àquele de quando fui atropelada

Apesar de me abandonar nessa cidade
Essa sua viagem me deixou contente
E como reconhecimento à minha amizade
Quero uma montanha himalaiesca de presente

Mas nada de perfume francês
Quero tabla para uma sonata
Um sári de dar volta ao mês
E um bom queijo Vindânata

Quando entrar no avião
Se achar que não agüenta
Pegue o Abílio pela mão
E se concentre com a voz do Goenka

Pra tu deixar de ser mané
Fica aí a dica da Maiana:
Esconda os óculos debaixo de um boné
E leve um cacho de banana

Vou ficar com saudade
Mas vai dar tudo certo, amiga pilantra
Quando voltar, já terás seriedade
Para arrotar um Coke´s Mantra

Desculpe essa pirambeira de versos
Desprovidos de quaisquer belezas
Fico aqui sentada, rezando meus terços
Já ansiosa para ouvir suas proezas

Da próxima vez também vou
Viajar com esse casal poliglota
Vou ganhar dinheiro fazendo um roquenrou
Ou pegar um empréstimo com o agiota

Para aumentar a sua coragem
Uma última coisa vou lembrar
Irá ter dois trabalhos nessa viagem:
Um de ir e o outro de voltar



Maiana 

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Rota Mágica: Arrumando a mochila para a Índia (3)

Faltam exatamente 4 dias! Hoje termino de arrumar minha mochila, que por sinal tem poucas coisas. Estou levando apenas um casaco poderoso, 4 blusas de frio e meias. Além de uma pequena farmácia, dicionários, gravador e meu diário de viagem para anotar tudo! O restante é comprar na Índia! Levar pouco e trazer muito, não só na mala, mas no coração. 


Durante nossa vida nós morremos muitas vezes. A Flor que existia há 5 anos atrás já não vive mais, hoje é outra Flor. Assim como a Raisa de 10 anos atrás também não sobreviveu. Ainda bem! Porque a vida vai sempre se reciclando! Isso tudo para dizer que esta Flor que escreve hoje aqui certamente não vai existir depois desta viagem. 


Hoje acordei ouvindo Prem Baba e me inspirando para esta viagem tão transformadora! Cantando, ouvindo e atraindo os grandes espíritos da floresta para perto de mim! 



Swanandají, Swanandají
Vem cá, vem cá

Swanandají Jaya, Swanandají Jaya
Vem cá para me ensinar

Seguindo meus irmãos
Com esta força a nos guiar

Ter paz e paciência
Para um dia enxergar
           
Cuidar do templo
Que agora estou dizendo
O corpo e o espírito agora
Vão se entendendo

Chamo, chamo cada um
Para se ver aonde estás

Vou destrinchando a sua vida
Para ver você brilhar

Chamo, chamo os meus amigos
Para vir nos ajudar

Para brilhar a estrela
Do oriente em você

sábado, 7 de janeiro de 2012

Rota Mágica: acontecimentos e preparativos (2)


Falta muito pouco! Meu coração vai ficando apertadinho, sabe? Sábado que vem estaremos em Dubai e só chegamos na Índia mesmo no dia 18 de Janeiro. É uma viagem muito forte, porque vai mexendo com as nossas emoções, lembranças e tudo que fica armazenado na nossa mente. Ontem eu me lembrei de um dia em que estava estudando para a monografia, vendo os templos e construções eu chorava porque tinha absoluta certeza que jamais veria aquilo de perto. O mundo dá voltas. 

Hoje é aniversário do meu tio Chiquinho e todo mundo está em Sahy, um lugar de "Casa na praia". Esqueci como chamar isso. Minha família está triste, sobretudo minha mãe, porque estou distante. Morar em Miguel Pereira não é fácil, estou longe dos meus amigos e da minha família. Hoje ela queria que fosse pra Sahy para me despedir já que vou ficar um pouco mais de um mês fora. Mas como a maioria sabe, antes de sair de casa é um ritual. Temos muitos animais e é preciso montar uma estrutura para eles. Nem sei como será isso. Nossas galinhas, codornas, pássaros, gatos! Ufa! Não vai dar para descer a serra. Ainda tenho minha mochila para arrumar, resolver a situação dos meus animais e por aí vai. Pretendo descer pro Rio de Janeiro já no inicio da próxima semana para comprar uma roupa térmica e ficar com a minha mãe e meu pai. Ver minhas primas que são como irmãs para mim. Peço desculpa a minha família por não ser o que eles esperam. 

Piadinhas a parte, mas de quebra vou logo avisando que será impossível trazer presentes para todos. Estamos indo de mochilão, numa viagem super hiper econômica. Espero que não fiquem tristes por isso.


Todas as noites antes dormir eu agradeço à Mãe divina, ao grande espírito da floresta por ter me concedido tamanho presente! Vem surgindo um novo tempo! E quero agradecer também aos amigos Fabio Goulart, Susane Travassos, Krishna Sharana e Renata Macedo pelas dicas preciosas! 

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Rota Mágica: Minha viagem à Índia (1)

Tenho uma linda novidade! 




É difícil começar. A Índia sempre foi um sonho lindo e distante. Presente apenas nos meus livros, na tela da televisão, nos gestos da minha dança. Confesso que não esperava ainda nesta encarnação realizar este sonho. E mesmo quando os primeiros passos do planejamento da viagem começaram a caminhar, ainda assim eu desconfiava que de fato aquilo era real. Sabe por que? Já algum tempo que eu vivo apenas no presente, mas especificamente no agora e assim eu conto somente com o instante-já, como dizia Clarice Lispector. De qualquer forma eu sempre busquei armazenar no meu coração a sabedoria dos grandes mestres indianos e isso me deu a serenidade de aceitar caso a visita física à Índia não ocorresse. 


A Índia mora em mim há muito tempo, e isso é tudo. Agora compartilho com vocês a Rota Mágica, meu diário de viagem com as vivências, alegrias e desesperos na companhia do meu marido Abilio.



O Roteiro


A escolha do roteiro foi bem complicada, afinal de contas a Índia é gigante e plural. Norte ou Sul? 
Como ir a Índia sem conhecer o Ganges e o Taj Mahal? Impossível! Escolhemos o Norte. Apesar da beleza e a aparente tranquilidade do Sul, optamos pelo roteiro mais turístico, que apresento para vocês: 


Brasil - Dubai - Delhi - Varanasi - Agra - Jaipur - Pushkar - Jodhpur - Ladakh - Paris - Brasil


Sim!!! De quebra vamos ficar alguns dias em Dubai e na volta vamos parar em Paris!!!  Orissa estava nos planos, mas optamos por descartar e conhecer Dubai e Paris. Não sei se foi a escolha correta, mas todos ficaram animados com a ideia. Agora ficou o desafio de estudar o roteiro profundamente neste pouco-micro espaço tempo. Faltam: 9 dias para embarcar! 


Serei eternamente grata ao meu marido Abilio por me proporcionar a realização deste sonho. Ele foi um grande, grande marido! O seu sonho é conhecer a Amazônia, o meu é conhecer a Índia. Ele com seu amor decidiu realizar o meu primeiro. Gratidão por ter um companheiro tão especial! :) 


Agora o Blog vai ter muitas novidades! Muitas, muitas! Não sei como será a conexão por lá. Mas estou fazendo um diário de papel mesmo e sempre vou digitalizar e compartilhar com vocês, meus amigos e familiares que são tão especiais para mim. 


Haribol! :) 

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Clube do Livro: O outro pé da sereia, por Mia Couto



O último livro que li em 2011 foi "O outro pé da sereia", de Mia Couto. Fazia tempo que eu não lia algo tão bom, com diálogos tão ricos, profundos e personagens tão completos, tão complexos. A narrativa de pertence ao mundo do realismo mágico, começa com o enterro de uma estrela até que Mwadia e Zero Madzero encontram uma imagem da Nossa Senhora faltando um pé. Do encontro ou desencontro da santa, Mwadia precisa cumprir uma missão: de olhar para o seu passado, de viver o seu passado de Vila Longe e as mais surpreendentes aventuras. 


Durante a narrativa personagens africanos, portugueses e indianos se cruzam, numa conhecida peculiaridade histórica: a colonização, a escravidão, os conflitos culturais. Os diálogos são de uma beleza muito rara que alimenta ainda mais nossa sede pela literatura. 


Reservei pequenos trechos que tocaram bem no fundinho do meu coração e ecoaram com intensidade na minha cabeça:


"A viagem não começa quando se percorrem as distâncias, mas quando se atravessam as nossas fronteiras interiores." 


"Deus mora nos lábios de quem reza."


"Não é fácil sair da pobreza. Mais difícil, porém, é a pobreza sair de nós." 


“A viagem termina quando encerramos as nossas fronteiras interiores, Regressamos a nós mesmos, não a um lugar.”

"A tristeza é uma doença, a alegria, um veneno."