segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Clube do Livro: O outro pé da sereia, por Mia Couto



O último livro que li em 2011 foi "O outro pé da sereia", de Mia Couto. Fazia tempo que eu não lia algo tão bom, com diálogos tão ricos, profundos e personagens tão completos, tão complexos. A narrativa de pertence ao mundo do realismo mágico, começa com o enterro de uma estrela até que Mwadia e Zero Madzero encontram uma imagem da Nossa Senhora faltando um pé. Do encontro ou desencontro da santa, Mwadia precisa cumprir uma missão: de olhar para o seu passado, de viver o seu passado de Vila Longe e as mais surpreendentes aventuras. 


Durante a narrativa personagens africanos, portugueses e indianos se cruzam, numa conhecida peculiaridade histórica: a colonização, a escravidão, os conflitos culturais. Os diálogos são de uma beleza muito rara que alimenta ainda mais nossa sede pela literatura. 


Reservei pequenos trechos que tocaram bem no fundinho do meu coração e ecoaram com intensidade na minha cabeça:


"A viagem não começa quando se percorrem as distâncias, mas quando se atravessam as nossas fronteiras interiores." 


"Deus mora nos lábios de quem reza."


"Não é fácil sair da pobreza. Mais difícil, porém, é a pobreza sair de nós." 


“A viagem termina quando encerramos as nossas fronteiras interiores, Regressamos a nós mesmos, não a um lugar.”

"A tristeza é uma doença, a alegria, um veneno."

Nenhum comentário: