quinta-feira, 19 de julho de 2012

Solidão: proteção ou fuga?!


Força

Você pode ficar demasiadamente apegado à posse de um abrigo ou de uma proteção, mas isso não lhe dará força. A força sempre vem quando você encara situações difíceis. 

Nos tempos antigos, as pessoas costumavam se mudar para mosteiros, para o Himalaia, para distantes cavernas, e lá elas atingiam uma certa paz. Mas essa paz era barata, porque, sempre que essas pessoas voltavam ao mundo, essa paz era imediatamente destroçada. A paz que sentiam era muito frágil, então elas ficavam com medo do mundo. Dessa maneira, seu isolamento era um tipo de fuga, e não de crescimento.

Aprenda a ficar sozinho, mas nunca fique muito tempo apegado à sua solitude. Permanecça capaz de se relacionar com os outros. Aprenda a meditar, mas não se mova para o extremo em que você se torne incapaz de amar. Seja silencioso, pacífico, sereno, mas não fique obcecado por esta quietude, ou não será capaz de encarar o mundo.

É fácil ficar silencioso quando você está sozinho. É difícil ficar silencioso quando você está com as pessoas, mas essa dificuldade precisa ser encarada. Uma vez capaz de ficar em silêncio com as pessoas, você chegou lá; nada poderá destruir o seu silêncio.

Osho 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Quando eu li este texto tive aquela famosa sensação “Ah, esse texto parece que foi escrito pra mim!”. Uma das metas da minha vida e que foi precocemente alcançada foi me mudar para Miguel Pereira e ter uma vida mais tranquila, e para ficar um pouco sozinha. Afinal de contas, quem não gosta de ficar sozinho?! Não sei se é minoria ou maioria, mas eu faço parte do grupo dos apaixonados por ficar sozinhos. 

Mas como todas as dicotomias da vida, estar sozinho tem seus prós e contras. Na listinha dos prós temos: poder fazer qualquer coisa a qualquer momento, desde meditar, arrumar a casa, ler, contemplar a natureza, e por ai vai. 

Mas os contras são pesados também: você perde a paciência com o mundo, porque dentro de casa as coisas funcionam do seu modo, e do muro pra fora a dinâmica é outra e as pessoas não tem as mesmas prioridades e pensamentos que você. Quanto mais isolado você fica, mais intolerante e impaciente com as diferenças. Isso eu aprendi a pouco tempo: é na rua que a gente coloca em prática o que aprendeu na teoria. Não que precisamos ser inescrupulosos com os nossos relacionamentos. Vamos pra rua? vamos sim! Vamos nos relacionar? Vamos sim, porém com sabedoria e filtrando o que sentimos ser bom e ruim para a nossa jornada.
Como disse Osho, do que adianta se refugiar nos picos do Himalaia e alcançar a paz perfeita e quando desce do cume não traz a paz com você?! A paz precisa morar no nosso coração e consciência, assim, não importa onde estamos, ela será nossa companheira. 

Digo tudo isso com uma propriedade de quem vive este dilema. Quem “convive” comigo sabe. Vivo isolada do mundo, sem muitos contatos, e agora num outro momento da minha vida, estou colocando o rosto na rua, convivendo com pessoas diariamente, algo que eu não fazia há um ano. E estou encarando isso como uma grande oportunidade de me fortalecer espiritualmente, pois estou colocando em prática todas essas teorias que escrevo aqui pra vocês e posso garantir que tenho aprendido muito. 

É como Paramahansa Yogananda disse “Embora você tenha que estar no mundo, não seja do mundo". É isso que estou fazendo, testemunhando o mundo e com plena consciência que nada disso me pertence. Fortalecendo, crescendo, frutificando. 


9 comentários:

Claudio Reis disse...

O mais difícil de conseguir é viver nesta selva de egos, que é o mundo, sem se deixar levar pelo seu próprio egozinho tirânico. Desapego, sim, mas a chave, eu acho, é sobretudo a compaixão - e isso, me parece, é ainda mais difícil que o desapego...
Metta, minha cara!

Claudio

Lucia Monteiro disse...

Precisamos sentar e filosofar mais sobre esse tema. Nesse particular ai somos muito parecidas.Também gosto muito de minha solidão.
Mas o mundo existe e precisamos relacionar com ele.
bjs
mamy
Obs: Amei sua colocação!

Thamara ツ disse...

por mais que nao queira é preciso conviver no mundo...
Belo o texto e, Sabias palavras "Embora você tenha que estar no mundo, não seja do mundo" :)

Sissym disse...

Flor, Feliz Dia do Amigo:

"Perguntei a um sábio,
a diferença que havia
entre amor e amizade,
ele me disse essa verdade...
O Amor é mais sensível,
a Amizade mais segura.
O Amor nos dá asas,
a Amizade o chão.
No Amor há mais carinho,
na Amizade compreensão.
O Amor é plantado
e com carinho cultivado,
a Amizade vem faceira,
e com troca de alegria e tristeza,
torna-se uma grande e querida
companheira.
Mas quando o Amor é sincero
ele vem com um grande amigo,
e quando a Amizade é concreta,
ela é cheia de amor e carinho.
Quando se tem um amigo
ou uma grande paixão,
ambos sentimentos coexistem
dentro do seu coração.

William Shakespeare "

Flor Baez disse...

Nossa, Claudio! Seus comentários são sempre um bálsamo de verdade! Com certeza a compaixão é muito mais difícil de desenvolver. A gente acha que sente compaixão, mas está de longe de ser esse nobre sentimento que conduz nossas ações.

Metta para você também, meu amigo!
Abraços, Flor

Mãe, linda! Acho que tenho mais de você do que imaginamos! rs Agora estou fazendo isso!:) Te amo!

Oi Thamara! Obrigada pela visita! É uma linda passagem mesmo! Muitas pessoas reivindicam a autoria desta frase. Mas como eu li num livro de Yogananda, coloco os créditos para ele. rs
Bjs, Flor

Hei amiga, Sissym! Obrigada por esta linda poesia de Shakespeare! Feliz dia do amigo, mesmo que atrasado! Porque dia do amigo pode ser todos os dias! :) Beijos!

Mayara disse...

Oi Flor. Eu tenho muita dificuldade em conviver com o ruído do mundo, com a falta de paz que sinto quando não estou no meu elemento, no meu lugar e com os meus. Foi uma lição muito boa, que sabe conseguir encontrar a paz dentro de mim, para levar para o mundo.

۞ Potira ۞ disse...

Flor, que texto mais lindo!

Admiro muito a tua aprendizagem!

=)

Ca Fonseca disse...

Estou visitando sempre o seu blog e me surpreendo a cada texto. Todos acrescentam muito e me fazem pensar por dias!
Obrigada! :)

Flor Baez disse...

Oi, Ca! Fico muito feliz que esteja se surpreendendo a cada texto!!! Feliz de verdade por conseguir compartilhar minhas reflexões!

Gratidão!!!
Beijos