terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Competir ou Cooperar



Uma das características mais insanas do sistema que vivemos hoje é a propagação exacerbada da competição. Basta ligar a televisão, abrir o jornal ou uma rede social que o que vemos são pessoas ávidas competindo uma com as outras, seja dentro do ambiente corporativo, esportivo ou social. E ainda há quem viva dando dicas e suporte de como ter um espírito competitivo. Tudo bem que para sobreviver nessa sociedade doente quem é competitivo acaba realmente em vantagem, pois superficialmente o mundo e as organizações foram feitos exatamente para esse tipo de pessoa e repare bem, o ambiente onde isso é mais visível certamente é mais hostil, pesado e cheio de indivíduos infelizes, frustrados e depressivos.  E tudo isso é o grande gerador de doenças e distúrbios.

Acompanhado desse espírito competitivo vem com ela a vontade salutar de constranger o semelhante, desqualifica-lo e fazê-lo com que se sinta inferior. E ao contrário do que pensa o senso comum, esse comportamento não é exclusivo em ambientes corporativos  é claro que é mais evidente, porque esses locais tem uma propensão de concentrar em maior quantidade pessoas cuja característica “competitiva” é uma qualidade, mas elas estão em todos os lugares: no seu trabalho, na sua roda de amigos, na sua família, e por ai vai.

Não entendo, sinceramente, o prazer que as pessoas sentem de competir com as outras. O mundo seria muito mais rico, mais diverso, mais harmônico se as pessoas simplesmente cooperassem uma com as outras. Pois cada indivíduo é único e possui habilidades, conhecimentos, pontos de vista particulares, próprios que são muito mais proveitosos quando divididos. Somente uma sociedade cooperativista é capaz de proporcionar uma convivência fraterna entre as pessoas. Precisamos apenas cooperar para o bom funcionamento da vida e não provar que somos melhores.  Como disse certa vez o amigo Fábio Goulart, não competir é uma questão de respeito próprio: ao seu tempo, à sua paz, à sua vida e ao seu talento.

Jamais esse sistema competitivo irá trazer paz de espírito, enriquecimento e harmonia, jamais.  Seja altruísta, solidário e esqueça essa mania de competir com os outros, você não é melhor do que ninguém. 

Um comentário:

norma disse...

Florbaez,

E nem foi levado em conta, que o 'competidor compulsivo' não tem certeza de sua 'grandeza' e sim uma torturante suspeita da sua inferioridade (^.~)
Melhoras!
Boa sorte, Norma