sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Da (in)utilidade da conversa



 
O problema real é com as pessoas que falam continuamente e não sabem o que estão dizendo nem por quê. Elas continuam a falar porque não podem parar. Mas, se você ficar um pouco consciente de toda a tolice e do problema que se passa na mente, se você ficar consciente de que nada existe para dizer, de que tudo parece trivial, então você hesitará.

No inicio parecerá que você está perdendo a capacidade de se comunicar – não é o caso. Na verdade, as pessoas não conversam para se comunicar, mas para evitar a comunicação. Logo você será capaz de realmente se comunicar. Espere e não force. Não se preocupe com o silêncio. Você se preocupa, contudo porque toda a sociedade se sustenta sobre a conversa, sobre a linguagem, e as pessoas muito eloqüentes se tornam muito poderosas na sociedade – líderes, eruditos, políticos, escritores. Você fica com receio de estar perdendo o domínio da linguagem, mas não se preocupe. O silêncio é o domínio de Deus, e quando você souber o que é o silêncio, terá algo a falar. 

365 meditações diárias - Osho 

Eu não precisaria dizer mais nada depois de um texto desse, ele em si já é bastante completo.

As pessoas surgem, estão do nosso lado a todo instante, em abundante quantidade a pipocar opiniões, testemunhos, conversas frívolas e os seus pontos de vista sobre a vida. Do que vale todo esse desperdício? São apenas meras opiniões de seres tão perdidos, tão desorientados e envolvidos pela cortina de maya quanto nós. O silêncio, o puro silêncio da vida interior pode mostrar soluções mais inteligentes e lúcidas do que todas as opiniões que foram ouvidas e assimiladas até hoje. Não podemos dar tanta importância a essas conversas, às vezes elas podem intensificar o sofrimento ao invés de aliviar as dores da alma, por mais que a intenção do interlocutor não seja essa. Quantas vezes nos encontramos em estado de confusão mental e dificuldade para realizarmos nossas escolhas por conta do manancial de bobagens que são despejadas dentro da nossa mente ?! Como se não bastasse os diálogos constantes que travamos sozinhos, dentro da nossa cabeça e que nos deixa confusos, há sempre mais pessoas para nos enlouquecer mais um pouco.

É claro que conversar é muito gostoso, quando você está cercado de boas companhias, mas não custa nada colocar um filtro invisível nos ouvidos e relevar as bobagens que nos dizem. É um santo remédio, essencial para vivermos em sociedade sem ser deselegante e grosseiro.

Nesse manancial de humanos escolha aquele que você admira, que você sinta prazer ao escutá-lo, que o seu coração vibre e sinta que existe uma verdade que more ali dentro, mesmo que seja um autor que já morreu. Não dê ouvidos a esses três mil papagaios que vivem e reproduzir o que ouvem por ai, sem jamais ter assimilado o que falam com o que fazem realmente. 

Me Desculpe o desabafo! 

2 comentários:

Bruna Buesso disse...

Muitos estão preocupados em falar e se esquecem que aprenderam a falar ouvindo outras pessoas falando também.

Beijos

Flor Baez disse...

É por ai mesmo, Bruna. É sempre mais sábio ouvir do que falar. :)
Beijos