sexta-feira, 8 de março de 2013

Da tolice de tentar agradar a todos



 Ontem uma amiga minha veio aqui em casa fazer uma visita e tive a oportunidade de ouvir seus ensinamentos. Sim, ensinamentos. Ela não deve ter a idéia disso, mas eu fico muito atenta a cada coisa que ela me fala, pois soa como uma lição e o seu modo de conduzir as situações, um exemplo. Depois que ela foi embora fiquei horas na cama matutando tudo o que ela me disse. 

Eu acredito que a própria vida, com suas mãos invisíveis tratam de colocar algumas pessoas no nosso caminho para nos ensinar algo muito precioso e eu sempre estou muito atenta a esses encontros e a essas mensagens. 

Que tolice é a nossa de tentar agradar os outros e fazer aquilo que definitivamente não faz o nosso coração vibrar. Foi a primeira lição, o primeiro parágrafo. Por que insistimos em estar em lugares onde não gostaríamos de estar? Por que sabotamos o nosso bem estar para agradar as outras pessoas? Não, não está certo. Precisamos estar inteiros, estar presentes. Não precisamos forçar a barra, já dizia o ditado que o sucesso do fracasso é tentar agradar. Não há necessidade de sermos aprovados e amados para sermos felizes, a felicidade é muito mais uma aceitação de quem somos do que o seu reverso. Isso não quer dizer que não podemos ser gentis, mas precisamos ser verdadeiros com a gente e talvez um pouco egoístas de dar prioridade para o que faz o coração vibrar. Para que perder tempo com algo que não faz nenhum sentido para você? Todo mundo é gente demais, e não dá para agradar a todos.

Quantas vezes perdemos noites de sono e energia fazendo aquilo que as pessoas esperam de nós?! Nenhum reconhecimento vale a nossa tranquilidade e bem estar. Quanto mais anulamos e sufocamos nossos desejos, sonhos e vontades, mais definhamos e perdemos nossa personalidade.  Deixe aquela social chata pra lá, você não pode se sentir obrigado a ir em algum lugar, a frequentar um grupo, um espaço, a aturar aquela mala sem alça que não sai do seu pé e suga sua energia mais divina, só para agradar ou deixar sua consciência tranquila de que você fez o que moralmente "certo". Não se exija além do necessário, para quê se cobrar mais do que o mundo te cobra?

Quanto mais verdadeiros e autenticos formos, mais momentos felizes iremos colecionar.

Dormi pensando nisso e acordei escrevendo.

2 comentários:

Zaray disse...

Muito bacana! Tanto esse questionamento sobre querer agradar todo mundo, muitas vezes anulando o que nos deixaria feliz de fato, quanto o preâmbulo. É preciso estar sempre com as antenas ligadas aos recados que o mundo nos dá o tempo todo!!!

norma disse...

Oi Flor,

Enquanto lia sobre a visita da tua amiga, pensava: Ã-ha, um instante amoroso. Bem 'Ágape' - sob os olhos dos gregos. Aquele cuja a 'função' é revelar algo sobre ti mesma ou s/o mundo e ... ir embora :)

Continuei lendo, agora em busca do que 'foi revelado': Achei o medo (que nos é incutido desde cedo) de não sermos 'bom o suficiente' para "Todo Mundo" e que nos leva a uma Arrogância insana, já que "Arrogância é querer o idealizado e não o possível", no dizer do L.A.Gasparetto e que acaba nos trazendo muito sofrimento (cobranças) e autosabotagem (priorizar eternamente terceiros, por 'n' motivos). Que preciosa visita! Presentes que o Universo nos manda constantemente. Como você estava 'alerta'...viu e recebeu!

Essa manhã, querida, acordastes não só 'maior' (rs.rs.rs), mas muito mais sábia, pois qdo se acende a luz do 'Ah! mas é assim que funciona?' a escuridão do "É muito para eu dar conta' desaparece. A 'Humildade' (reconhecimento do pp Potencial & Limitações) chega e o primeiro a ser ouvido, conscientemente, será o nosso coração, expandido pelo autoconhecimento.
Cuide-se e Boa Sorte, Norma

P.S.: O 'grandão' da foto tá muito lindo mantendo-se (educadamente) na mão, quase no acostamento, né não? Nac♥