quarta-feira, 3 de abril de 2013

Máscaras



Em tudo o que você estiver fazendo, siplesmente esteja consciente. Se você estiver usando uma máscara, esteja consciente; use-a conscientemente. Ela não deveria ser uma coisa automática. 

Se o seu estado de ânimo está entristecido e alguém vem e você permanece triste, você o deixará triste também. E ele nada fez. De maneira alguma o mereceu; então, por que deixá-lo desnecessariamente triste? Sorria, converse e você simplesmente controla a situação, sabendo bem que isso é uma máscara. Quando o seu amigo for embora, fique de novo triste. Essa foi apenas uma formalidade social. Se você a usar conscientemente, não haverá problema.

Se você tiver uma ferida, não há necessidade de mostrá-la a todo o mundo; ela não diz respeito aos outros. Por que torná-los infelizes contando-lhes sobre sua ferida? Por que ser um exibicionista? Deixe quea ferida esteja com você, cuide dela, tente curá-la. Mostre-a ao médico, mas não há necessidade de mostrá-la a cada um que passa pela rua. Esteja consciente.

Você precisa usar muitas máscaras, elas funcionam como lubrificantes. Uma pessoa vem, pergunta como você está, e você começa a lhe contar todos os seus problemas. Não foi pra isso que ela perguntou, ela estava apenas dizendo alô. Agora, por uma hora ela precisa escutá-lo. Isso é demais! Da próxima vez ela nem dirá alô, ela escapará.

Na vida, muitas formalidades são necessárias porque você não está sozinho. Se você não viver de acordo com os padrões formais da sociedade, criará infelicidade para você, e nada mais.

(Osho. 365 meditações diárias. São Paulo: Verus Editora, 2003. p. 293)

Nenhum comentário: