sábado, 8 de junho de 2013

A missão espiritual de educar




Como é difícil educar. Alguns de vocês já sabem que minha filhinha nasceu em Abril e de repente me deparo com o desafio não de ser uma mãe, mas de ser uma boa mãe, de educar com carinho e determinação um outro ser humano. A missão já começou, por mais que 2 meses pareçam à primeira vista inofensivo.

Precisei recarregar minha bateria de paciência, primeiro para aguentar as noites mal dormidas e segundo para aguentar a quantidade de pitacos que as outras pessoas dão sobre a forma como você deseja criar seu filho. Até acredito que a intenção de tantos interlocutores seja simplesmente de ajudar a mãe desavisada, de primeira viagem, que comete alguns erros. E quem lá não cometeu quando encarou o desafio de ser mãe? É o banho que é dado na hora errada, a fralda que vai dar alergia, a manha de pegar toda hora o bebê no colo, a falta ou excesso de agasalhos, e por ai vai. Todo mundo tem uma sugestão, porém cada neném é um neném, cada mãe, uma mãe, cada criação, uma criação. A mãe sabe o que é melhor para o seu filho.

 Eu vou educar minha filha de acordo com o que acredito ser o certo, o ético e que esteja em sintonia com a forma como eu vivo, afinal de contas, se ela nasceu do meu ventre, certamente é dentro desse meu universo que ela precisa crescer, evoluir, aprender a ser um ser humano, uma alma melhor. 

Quantas vezes já ouvi pessoas falando: -Você vai privar sua filha do direito de comer carne?!

Como se a dieta vegetariana que eu sigo fosse o maior empecilho e obstáculo que vamos enfrentar juntas. Eu não como carne, e certamente enquanto couber a mim colocar a comida no prato da minha filha, carne não está no cardápio. Mas se chegar um dia, ele certamente vai vir, ela me pedir isso, quero que ela fique à vontade para fazer suas escolhas, por mais que algumas não estejam de acordo com o que eu acredito e até doam meu coração. É nítido como o senso comum torce o nariz para a dieta vegetariana, pera lá, deixe os inofensivos "comedores de alface" em paz, afinal de contas isso não faz mal a ninguém, pelo contrário. Poupa a vida de animais.  Por enquanto minha preocupação é ajustar o sono dela. Cada fase, uma fase. Pra que antecipar as coisas? Quero educar para que ela possa refletir com liberdade, fazer suas escolhas e conduzir sua vida da melhor maneira. Eu vou lhe dar as ferramentas para isso, dar o melhor que eu posso.

Eu assumo a responsabilidade de educar minha filha, de ensinar valores e prepará-la para a vida nesta Terra. Quero que acima de tudo ela seja uma pessoa do bem e que a gente tenha a liberdade de sermos que somos, assumindo nossas responsabilidades sabendo que vamos errar muitas vezes.

Nenhum comentário: