quinta-feira, 5 de setembro de 2013

As diferenças entre Ser e Estar




 Acreditamos em personalidades, e muito veementemente na nossa própria personalidade. Cremos que somos dotados de qualidades x e defeitos y. Sou uma pessoa impaciente, observadora, impulsiva e amorosa, essa é a Flor. Não.  Não somos uma personalidade engessada em pequenas características formais. Nós somos o momento. Eu não sou uma pessoa impaciente, eu estou uma pessoa impaciente. Eu não sou os textos que escrevo, eles estão em mim por algum momento e depois se desprendem e tem uma vida própria. 

É cômodo nos enquadrarmos para poder “saber” quem somos, mas na realidade o correto é sempre quem estamos. A pessoa que sou hoje não é a mesma de ontem, do ano passado ou da infância. Tudo está em constante processo de transformação.  Todo o mundo e as coisas nele habitam, inclusive o nosso ser estão em constante construção e desconstrução. Quantas vezes você percebeu que aquela velha Simone já morreu? Simone abandonou muitos corpos no meio do caminho. 

Mudamos a cada minuto, e isso é o maior presente que ganhamos deste universo. Temos uma página em branco sempre disponível para escrevermos uma nova história com o nosso mutante “eu” (não me refiro ao nosso egozinho tirânico, mas sim algo muito mais profundo que há dentro de cada um). 

A impermanência do mundo não limita, e sim liberta. Libertam de conceitos, de rótulos, idéias cristalizadas que fazemos sobre as coisas. 

Seus pensamentos, suas emoções, seu temperamento é o que está em você neste momento, mas eles não são substâncias perenes que fincaram raízes dentro de você, eles estão só de passagem! E deixe-os passar. Não fique se aprisionando. 

Muito além da investigação de quem sou eu, mora o quem eu estou neste momento. E essa auto-análise pode fazer muito mais por você. Não somos nada e nada é. Verdades e conceitos absolutos não costumam ter validade ou mesmo uma vida longa no Planeta Terra. 

O estar nos proporciona uma vida mais leve, porque não precisamos nos preocupar com os nossos estados, já que eles são passageiros, apesar daquela sua coleguinha de classe ainda achar que você é aquela menina mimada e maluquinha do passado.  Impermanência. As coisas mudam, você muda a cada minuto que passa. Se não conseguimos estar novos e renovados a cada dia é porque ainda estamos engessados no quem eu sou. Abandone isso para se conhecer e aceite a natureza anicca da vida.

Nenhum comentário: