quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Religião e Ciência





Se tem algo que me incomoda em algumas religiões é aquele discurso de que sua filosofia é comprovada cientificamente, como se o conhecimento de deus e da iluminação fossem quesitos a serem regidos pela ciência. Se as pessoas estivessem realmente preocupadas com veracidades científicas certamente iriam rezar e meditar em laboratórios e não em templos, centros, etc. 

Não há comprovação maior do que aquela que é sentida pelo coração. Onde a pessoa enxerga o sentido, coerência, harmonia na própria filosofia. Muitas pessoas que usam este discurso do “comprovado cientificamente”, se forem questionadas não sabem se referir ao tal cientista que atestou a filosofia. Cientista também são homens, diga-se de passagem, e também estão sujeitos a equívocos. 

Para quem está em busca de aperfeiçoamento pessoal, espiritual, que está disposto a realizar transformações interiores profundas, não precisa de comprovações cientificas.  Não que elas devam ser inimigas e viver em combate, ou simplesmente que elas não se completam. Até podem caminhar juntas, mas do que importa? Deus é deus, iluminação é iluminação, e mesmo que existam mil provas cientificas que elas existam, o ateu ou qualquer outro que não esteja disposto, não irá aceitar como verdade, pois as verdades são relativas. Cada um se encontra em um estágio evolutivo e certamente o que é compreensível e aceitável para mim não será para outra pessoa. Cada um no seu tempo e com as suas ferramentas para ser uma pessoa melhor, feliz e plena.

A comprovação está na nossa conduta. Não há prova maior do que as nossas próprias ações.

Um comentário:

Sissym Mascarenhas disse...

Florzinha,

Não sigo nada, não suporto!
Mas sigo o meu coração.
Eu tenho fé, eu sinto amor.
Amor à vida, ao proximo.
Eu sinto Deus.
E Ele não exige nada, apenas que sejamos bons.

Beijos