segunda-feira, 7 de julho de 2014

Os hábitos das pessoas felizes





Muito me interessa tudo que fale sobre a felicidade, pois essa é uma busca quase universal. Quem não está buscando mais sentido e envolvimento nas coisas que fazem? Hoje recebi esse texto que fala sobre os hábitos que as pessoas felizes têm.  É bom conhecê-los para ver se na sua vida eles existem de fato e o que você pode incluir na sua rotina para ter dias mais plenos de sentido. 


Pessoas felizes se cercam de pessoas felizes, porque a alegria é contagiante! Ontem mesmo estava conversando isso com uma amiga. E simplesmente existem pessoas que fazem questão de serem desagradáveis, de poupar sorrisos, elogios e tudo o mais que forme um arco-íris.  É fácil detectar uma pessoa assim, eu e minha mãe tivemos essa experiência no INSS, com uma funcionária muito da rabugenta que nos atendeu mal em todas as vezes que fomos lá.
Pessoas felizes se recuperam dos seus tombos e traumas. Elas sofrem quedas, decepções, choram, mas sabem se levantar e continuar a jornada. Isso é tudo! “Caia sete vezes e levante oito”.  A vida é tão curtinha, mal dura 100 anos. Por que não tentar sempre? Um dia tudo isso acaba. 

Pessoas felizes sabem aproveitar os prazeres pequenos. Ver o sol se pôr, mudar o itinenário, tomar um café, sentar, fazer nada sem culpa, etc, etc, etc.
E o melhor, o melhor de todos eles, que é trocar os monólogos cinza de elevador por conversas profundas.  Corajosamente dizer tudo aquilo que sentimos, compartilhar de forma leve e profunda (ó paradoxo) os nossos pensamentos. Trocar experiências reais, crescer e aprender com as conversas e deixar o “acho que vai chover hoje” para depois, só por hoje.
Pessoas felizes priorizam as conexões pessoais, são otimistas, sabem enxergar o lado positivo das situações adversas e grotescas. Preocupam-se com o outro, mas sem invadir a sua vida e suas escolhas.  Elas se desplugam com facilidade, olham para o lado espiritual das coisas e tem bom gosto musical! Sim! E não sou eu que estou falando, é o tal do estudo que você precisa ler na íntegra.
Crlt C Crlt V:
“Após explorar o que traz a satisfação definitiva, Seligman se disse surpreso. Buscar o prazer, determinaram as pesquisas, não contribui quase nada para a satisfação duradoura. O prazer é o “chantilly e a cereja” que dão um toque adocicado para as vidas baseadas na procura do sentido e do envolvimento”
A vida pode ter prazer, mas ele não é sozinho a essência da felicidade.

Nenhum comentário: