terça-feira, 30 de setembro de 2014

A República de Platão, por Alain Badiou


A filosofia é um tema que muito me interessa, pois coloca em perspectiva toda a busca pela sabedoria e pela “verdade”, mesmo que de fato não se alcance. Quando recebi o livro “A República de Platão”, por Alain Badiou sabia que teria uma grande empreitada pela frente.  Sendo Platão um dos filósofos mais discutidos e analisados, seus temas ainda são contemporâneos e o que Alain Badiou fez foi trazer Platão como um indivíduo da nossa época, dialogando com eventos próximos da nossa realidade sem cair em um anacronismo.

O resultado não é uma tradução da obra de Platão, muito menos uma distorção de sua obra, mas todo o mel da filosofia platônica fica em evidência em uma roupagem atual. Temos até uma Amanda na polis que dialoga incessantemente com o filósofo e a famosa Caverna de Platão se torna um cinema. A tecnologia e seus abusos são temas recorrentes entre os personagens.

Ainda estou caminhando na leitura do livro, mas posso adiantar que a história é uma forma nova de tratar as utopias da humanidade, como a cidade ideal, o conceito de justiça tão fortemente pensado e discutido pelo filósofo e, é claro, uma maneira peculiar ver Sócrates e de se pensar os eventos contemporâneos sob a ótica filosófica de Platão.  O livro continua sendo um texto provocativo, onde o leitor caminha junto com seus personagens do desenvolvimento das ideias, mas com o cenário cultural familiar dos nossos tempos.

Fica em evidência não só a forma e o método de como Platão pensava, mas também toda a erudição de Alain Badiou, que conduz a narrativa numa jornada saborosa, intrigante e muito longe de ser cansativo.



Nenhum comentário: