segunda-feira, 9 de março de 2015

A queda de Napoleão



Escrito pelo historiador e professor da Sorbonne, Jean-Paul Bertaud, o livro “A queda de Napoleão”, da Editora Zahar, recria de forma esplendorosa o clima da França nos três últimos dias de seu Império e somos transportados, assistimos de forma quase fílmica o desembaraço político francês de 1815. A narrativa transcorre de forma leve e nada acadêmica, o que não significa que a história foi romanceada, já que todo o material é produzido através de documentos.

Com sucessivos fracassos nos campos de batalha, o exército estava completamente desmotivado e sem forças para continuar, paralelamente a Câmara dos Representantes já tem como certo o fracasso de Napoleão e começa a movimentação para realizar Golpes de Estado e apoiar a dinastia dos Bourbon. Obviamente que este clima também contagia a sociedade civil. Napoleão cogita a dissolução da Câmara para impor uma ditadura da salvação francesa, mas nem mesmo o soberano tem forças e apoio suficiente para se instalar este regime político. Ele tenta um recrutamento em massa, mas teme armar o povo tão instável, que pode se voltar contra ele. Pânico e desordem marcam os 3 últimos dias que antecedem a queda do Império Napoleônico.  Os realistas afirmam: “Se Buonaparte não tivesse vindo conspurcar nosso solo, estaríamos em paz com a Europa.” O imperador encara esta falta de apoio como sua própria culpa, já que acostumou os franceses à vitória e no primeiro sinal de fracasso logo viram as costas.

Os partidários de Luiz XVIII se mobilizam e espalham cartazes pelas cidades maldizendo o imperador. Todos esperavam que Napoleão renunciasse ao seu cargo, mas a incerteza de quem poderia ocupar o seu lugar é uma questão de calorosas discussões e impasses e o medo uma acompanhante constante, já que com a instabilidade política e social uma guerra civil poderia ser facilmente empreendida, o que acarretaria numa crise ainda mais profunda.

Mesmo com todas as tentativas de Napoleão em fortificar seu poderio militar e contornar as intrigas que transbordavam na Câmara dos Representantes, nada disso foi suficiente.  A queda do seu Império já estava selada e nós, leitores, temos a oportunidade incrível de assistir de forma tão intimista este momento histórico tão importante para Ocidente neste relato eletrizante do historiador Jean-Paul Bertaud.


Para conhecer  e comprar o livro, acesse aqui. 

Nenhum comentário: